sábado, 7 de maio de 2011

How About Love?!

Bom dia, patota!
Bem, antes de qualquer coisa, gostaria de dizer que, ontem, fui vencido pelo cansaço, portanto não postei aqui... Mas, cá estou eu de volta.
Não obstante, antes de começarmos o post de hoje, vou dizer o resultado de nossa última enquete (Pegação ou Não?!). Nós tivemos 4 votos à favor e 15 contra. O que pode nos dizer que o site, realmente é frequentado apenas por nerds... Ou não...
Que seja. Eu gostaria de agradecer a todos que votarem e pedir para, por favor, passem adiante as enquetes. Ou mesmo que não minhas enquetes e posts babaca, temos ótimos posts aqui de pessoas realmente inteligentes (obviamente, portanto, nenhum meu). Lembrem-se que seu voto é importante para nós e adoramos saber a opinião dos outros.
Agora, antes de começarmos a postagem do dia, foi pedido para eu dar um recado:
O Ministério da Saúde adverte: este post não é recomendado para pessoas alérgicas à mel e à doces. Evite se tiver diabetes.
Indico, também, para não ler se você não for uma fútil garotinha de doze anos de qualquer idade e qualquer sexo.
Agora, já advertidos, eu posso começar a postagem (à partir deste instante, quaisquer processos por vômitos de arco-íris causados por esse post serão inválidos).


Hoje, eu vou falar para vocês sobre Amor. Engraçado pensar que eu (eu, feio, babaca, ridículo, estúpido, infantil, imaturo) possa estar apaixonado. Ainda mais que esse amor é recíproco e a pessoa em questão é quem é (linda, perfeita, tão, mas tão mais do que eu mereço). E engraçado também pensar que eu sei que é Amor.
Por que eu estou falando de Amor hoje?! Bem, na verdade era para eu ter falado ontem, pois ontem foi um dia muito especial. Foi o meu aniversário de namoro com a Cassie (juro que mato se alguém vier reclamar que vomitou arco-íris ao ler esse texto. Eu avisei u.ú).
Okay, para falar de amor, eu vou começar com o lado científico da coisa. Sabiam que foram feitos estudos e dizem que o escaneamento do cérebro de indivíduos apaixonados se assemelha ao escaneamento de usuários de drogas e pessoas com doenças mentais. Você me pergunta: por quê?!
Bem, parceiro, a mais pura verdade é que, quando você ama, você realmente vira dependente dessa pessoa. Se você está se sentindo mal, você quer o consolo daquela pessoa. Se você está se sentindo feliz, você quer ouvir o riso daquela pessoa. Se você está se sentindo doente, você quer o cuidado daquela pessoa. Porra, se você tá sentindo sono, você quer o colo daquela pessoa pra dormir...
O importante de sabermos do Amor é que existem varias formas de Amor: fraternal, maternal, paternal, ou até mesmo aquela coisinha conhecida como amizade. Pois é, você sabia que você ama seu melhor amigo?! Seu gay...
Mas eu vou falar mais especificamente do Amor mais conhecido: o amor de papai e mamãe (para os leigos). O Amor de amantes.
O amor, cinetificamente falando, produz alguns hormônios (como a adrenalina), que te fazem sentir, por exemplo, euforia, felicidade e bem-estar. O amor diminui a serotonina, um neuro transmissor fundamental para a percepção e avaliação do meio e para a capacidade de resposta aos estímulos ambientais, o que explica porque aquela pessoa apaixonada tem tendência de cair do nada, gaguejar, etc. Os apaixonados se comportam tão impulsivamente, como sabemos, exatamente por isso: o Amor mexe com nosso cérebro e nos deixa lelé...
Bem, deixando esse papo científico de lado, afinal, hoje é sábado, o Amor, bem, o Amor dói. É verdade. É cientificamente (Deols, de novo não!) impossível o ser humano definir se dói mais perder um amor ou esperar por um. Mas eu lhe digo uma coisa: se você está em uma dessas situações, você ainda não encontrou seu Amor.

Bem, vocês sabem como é foda esperar um amor. Afinal, o que você vai fazer?! Sair por aí gritando "Coisinha linda, meu amoôr"?! Infelizmente não dá certo... Você, realmente, não tem opção se não esperar. E, quando um amor acaba (eu nunca presenciei isso, mas tenho uma ideia de como deve ser horrível), dói. Porra, deve doer muito. Afinal, quando você se descobre apaixonado, você sente como sua valesse à pena, certo?! Sem esse amor, o que vale a sua vida?! Pois é, deve ser triste...
Uma vez, John Lennon disse: "Não existe isso de um amor completar você. Você não é metade de uma laranja. E a outra pessoa não deve carregar a sua outra metade nas costas dela. Apenas sendo indivíduos com personalidade própria que podemos amar". Pois bem, desnecessário dizer que o Amor existe entre duas pessoas, e não duas metades. O Amor é feito de personalidades (muitas vezes conflitantes) que, sabe-se-lá-porquê (e essa é a grande questão), se atraem mutuamente e não conseguem mais se afastar. Sabe, os ímãs geram um campo eltromagnético (ou eletrofraco), todos os corpos com massa geram um campo gravitacional... Por que o Amor não pode gerar um campo próprio?! Mas essa é apenas uma teoria minha... Afinal, a teoria de campos diz que um objeto atrai outro com uma mesma particularidade (por isso que ímã não 'puxa' a prata, por exemplo). Qual seria a particularidade que atrairia dois amantes?!
Ah, bem, chega dessa filosofia, que não é por isso que estamos aqui, neah?!

Across_the_Universe_by_dragonwings131.jpg

A música em questão é Across The Uinverse, nome título do filme que inspirou esta imagem.


Agora, para aqueles que dizem que namorar é estúpido e pegar geral rula: vocês ainda vão ser fisgados (muahahahaha risadinha maléfica por trás do teclado). É sério. Chegará um dia em que você encontrará aquela pessoa que você ama. E aí, das duas uma: ou vocês se esforçam e vocês descobrem todas as maravilhas do Amor, ou vocês acabam desistindo, magoados, decepcionados e sozinhos.
Eu queria falar para vocês um pouquinho sobre as coisas ruins do Amor. Para começarmos, vamos falar daquele mal filho da puta, que todos odiamos: ciúmes. Cara, não tem nada pior do que sentir ciúmes. E toda vez que eu o sinto, eu me lembro da música do Ultrage a Rigor, Ciúmes. É só que, ah, eu não quero ser tão possessivo e dependente e carente, mas você não aguenta. Você se sente mal quando aquela tua pequena dá mais atenção pro amigo dela e esquece você lá, plantado do lado dela, fazendo fotossíntesse. Sei lá, é mal sem cura. E o pior é que você não quer que a pessoa mude ela por você. Você a ama do jeito que ela é. Você só queria que ela percebesse...
Outra coisa horrível é saudades. Porra, como é foda... Você quer a pessoa ali, do seu lado, mais do que qualquer coisa. Mas você aguenta dia após dia apenas pela vontade de ver seu sorriso.
A pior coisa, talvez, seja você. Sério. Você se sentir horrivelmente culpado. Você perceber que você faz mais mal do que bem à pessoa é horrível. É triste e, se você não se virar, no final do dia você quebra e chora.
Mas, apesar disso tudo, você aguenta. E sabe por quê?! Porque, cara, o Amor é a mais bela sinfonia. O Amor é pura música.

love_song_quiz.jpg


Sim, pura música. É um ritmo inebriante que te acole e te guia, te conduz, dançando aquela valsa num ritmo de rock, acompanhada com o saxofone de blues tocando um jazz. É estonteante, ebriático, embriagante, redondo, perfeito. O Amor rege o universe como um maestro rege sua orquestra. Todos os instrumentos são tocados com perfeição e criam aquela harmonia tão bela, tão perfeita que nenhum outro conseguiria. Cada instrumento tem seu lugar de destaque. Todos tem seu motivo. É bonito isso, não?!
A verdade é que, apesar da dor, apesar dos ciúmes, da saudade, da tristeza, apesar de tudo, o Amor é a melhor coisa que existe. E você sobreviveria mares de fogo, rios de lavas e ares de plutônio apenas para ver aquele sorriso uma última vez. Apenas para beijar aqueles lábios. Então, você poderia morrer feliz.
"Love is like oxygen, it lift us up where we belong, all you need is Love."
Amor é o que nos faz sobreviver, dia após dia, noite após noite, lágrimas após lágrimas, faça sol, faça chuva. É aquele guia, nossa bússula, nosso ódio. É tudo e mais um pouco. É impossível de compreender e tudo o que buscamos.
Então, por que nós estamos desistindo dele?!

Beijos e abraços,
Corram pelados,
Henrique Dottoly
õ/

P.S.: Pode dizer, vocês amaram esse finalzinho, neah?! ;D

P.S.2: Gostaram das imagens?! Achei que o texto ia ficar um pouco menos massante assim...

P.S.3: Cassie *-*' Eu te amo, sabia?! Muito mais do que o número de elétrons em todo o universo.

P.S.4: Estou me achando muito nerd D=

P.S.5: Vomitei arco-íris.

2 comentários:

BligBlog - o Blog da Bia ! disse...

isso é que é paixão. Algo tão grande que nos faz felizes e tristes, alegres e deprimidos.

Se sentir amado é algo maravilhosamente maravilhoso ^^, assim como a falta disso é capaz de suicidar alguém.
na realidade muitos de nós temos medo de demonstrar esse amor todo pra não parecer looooko.. o que não deveria acontecer . (inveja dessa Cassie aí, n por vc rsrs mas ao mesmo tempo por vc.. n
ao ter vergonha de dizer o quanto a ama.)

Resta saber se não é apenas no mundinho virtual. :/

Viva a vida , e não o budy poke, im vu, seja lá o que for...

Felipe Orlando disse...

Ah, o amor! Que lindo...

A minha teoria de mais de 5/6 anos de que não existia amor, foi quebrada, esfiapada, destruída, estuprada em apenas um dia...

Pois é, meus caros, eu fui fisgado pelo amor. E o pior, por um amor coorrespondido.

O meu caso é particulamente igual ao do Dottoly, "como uma garota perfeita pode ME amar?". É foda...

Enfim, essa mudança de teoria fez um colapso no meu cérebro, sério.

Isso foi ontem (quinta-feira, 19/05), e não quero escrever muito, afinal, to afin de ligar pra ela... Só digo que o beijo que ela me roubou no final da aula, vai ser inesquecível. SÉRIO!

Quer saber...
"Vão se foderem", eu vou ligar pra ela.

Fui.
Abraços,
Bjo no útero.

õ/

Postar um comentário